terça-feira, 12 de junho de 2018

MÚSICOS DE AMARGOSA: EP. 2 – DIEGO MORAES

Por Anderson L. Souza

Apesar das dificuldades de produzir sozinho qualquer conteúdo audiovisual, eis aqui o segundo episódio da série “Músicos de Amargosa”, desta vez com o virtuose na guitarra Diego Moraes.

Diego, velho conhecido da época do já extinto Café e Cultura, é um grande representante da música produzida em Amargosa. Mesmo com nítidas predileções pelo rock, versa habilidades por diversos estilos musicais, com parcerias e colaborações significativas para música da cidade.
 

Nesse registro, nosso habilidoso guitarrista faz um interessante depoimento sobre sua relação com a música desde a adolescência até os dias atuais. Relatando sua introdução ao meio musical, bandas e projetos, a cena local e sua perspectiva para o futuro da música em terras amargosenses e em todo país.

Acompanhe no vídeo abaixo, gerido mais uma vez pela New Brutality Produções e apresentado por nosso blog, uma descontraída e emocionante entrevista com o excelente músico Diego Moraes.



Diego Moraes – Contatos:


Facebook  /  Instagram  /  YouTube  / 

WhatsApp: (75) 98205-4191  /  Cel.: (75) 99240-4992
 

quinta-feira, 26 de abril de 2018

SEM MASTIGAR

Por Anderson L. Souza

Faz alguns anos que conheço Laura Juliana. Fui apresentado a ela por minha esposa, que adorou vê-la cantando em uma apresentação acadêmica e considerou que eu também iria gostar de conhecê-la. Foi dito e certo. Entrosamo-nos rápido e iniciamos um processo de construção musical juntos, a partir de colaborações mútuas. Juliana compõe e tem um senso bastante apurado para criar melodias, coisas que me agradam muito. As situações da vida fizeram com que nos distanciássemos um pouco geograficamente. Mas, isso não foi capaz de nos separar drasticamente quando o assunto é música. Hoje, mesmo morando em Estados distantes, nos vemos sempre que possível. Num desses encontros conseguimos registrar uma de suas autorias, música intitulada “Sem Mastigar”.

Gravamos a música com a colaboração de Daniel Dattoli (ex-Cobalto), na produção. E depois de ter o resultado final tão significativo, pensei que seria interessante divulga-la utilizando a linguagem do videoclipe, como forma de ressaltar coisas que a música traz. Resolvi então produzir um material audiovisual que trouxesse, pelo menos, uma parte do que pode ser interpretado na letra contundente que Juliana apresenta. Convidei o conhecido ativista cultural da cidade e também professor de teatro Carlos Muñoz (Carlitos) para desenvolver comigo um roteiro que representasse bem a música. Muñoz, que atualmente conduz o Grupo de Teatro Negaça, deu a ideia de levarmos seus alunos para encenar algumas situações, e tudo se concretizou.

Esse trabalho é uma prova de que as coisas podem acontecer positivamente quando há união e um propósito comum, nesse caso a arte. E assim, diferentemente de muitas outras pessoas convidadas, que estão demasiadamente “ocupadas em nascer e morrer”, pude contar com gente disposta a produzir e contribuir para mudar esse decadente cenário cultural, político e midiático que assola o país e, consequentemente, “nosso pedacinho do Brasil”.

O produto concluído pode ser conferido logo abaixo. Conheça, reflita, comente e repasse...

terça-feira, 11 de julho de 2017

MÚSICOS DE AMARGOSA: EP. 1 – PEU MEURRAY

Por Anderson L. Souza

Considerada uma das cidades com o melhor São João de todo o nordeste, Amargosa abriga músicos da melhor qualidade. Apesar da fama em torno do forró, podemos encontrar diversos músicos ligados a outros estilos. Normalmente, o desejo pela música e as habilidades musicais são passadas dos pais para os filhos, e essa tradição continua viva até hoje na cultura da cidade. Mesmo que os incentivos públicos e privados ainda sejam rasos ou até mesmo inexistentes.

Nessa perspectiva, resolvi conhecer essas pessoas e registrar os mais interessantes depoimentos sobre sua relação com a música. Mesmo com recursos limitados e assumindo sozinho todo processo de produção (com esporádicas colaborações), busquei compor um conteúdo que pudesse representar à altura e com o devido respeito todas as personagens a que tive acesso. Assim, deixei de lado a ideia de construir um documentário (pelo menos, até poder montar uma equipe e estrutura compatível com a proposta) para dar andamento a uma série de entrevistas mais abrangentes, valorizando cada músico e suas histórias particulares e individuais.

Neste primeiro episódio da série “Músicos de Amargosa”, produzido pela New Brutality Produções e apresentado por nosso blog, temos uma aberta e descontraída conversa com o músico, compositor e artista plástico, Peu Meurray. Com a experiência de mais de vinte anos, compondo, tocando e gravando com diversos artistas ao redor do globo, Peu segue em carreira solo, mas, ainda assim, continua sendo requisitadíssimo no cenário da música popular brasileira e também da world music.

Envolvido em diversos projetos, a maioria socioculturais ambientais, reaproveita pneus velhos desenvolvendo diversas peças que podem ser úteis à toda sociedade, como instrumentos (no caso dos famosos tambores) e alguns móveis decorativos. Em Salvador, O Galpão Cheio de Assunto, mais uma criação do artista, abriga as mais diversas obras plásticas e musicais próprias e de ilustres convidados. Há quatorze anos, durante o São João, comanda o Bloco de Arrasta Pé “Zona Rural” em Amargosa, com público cativo em todas as edições.

Esbanjando simpatia e com a simplicidade que poucos conseguem manter no meio artístico, aqui podemos conhecer um pouco mais dessa figura multifacetada, talentosa e preocupada com as pessoas e o mundo que o cerca. Acompanhem a trajetória de sucesso de Peu Meurray, filho legítimo de Amargosa, autêntico em palavras e ações.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

RACISMO E CIÊNCIA - OCUPAÇÃO CFP/UFRB


Por Anderson Souza

Como parte das atividades de ocupação dos alunos do Centro de Formação de Professores (CFP/UFRB), o projeto de extensão Café Filosófico-Científico trouxe à discussão o tema “Racismo e Ciência”. Indicado pelo Prof. Dr. Cícero Josinaldo Oliveira, também responsável pela mediação, o Prof. Dr. Lucas Maia, recém-chegado ao curso de Física, foi convidado para falar sobre o assunto.

Realizado no próprio CFP, o evento contou com um público bastante diversificado, composto por alunos, ex-alunos, técnicos e professores da instituição. Para o encerramento, a estreante banda Paliativo foi a atração musical desta edição do Café.

Confira o compacto dessa riquíssima noite de conhecimento e diversão.

domingo, 30 de outubro de 2016

FILOSOFIA, CIÊNCIA E RELIGIÃO


Por Anderson L. Souza

E desta vez, o projeto de extensão Café Filosófico-Científico ocorreu no Centro Territorial de Educação Profissional do Vale do Jequiriçá (CETEP), Amargosa/Ba. Com o tema "Filosofia, Ciência e Religião", convidamos para essa palestra o Prof. Dr. Daniel Rodrigues Ramos, recém-chegado ao Centro de Formação de Professores (CFP) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Para conduzir a mesa contamos com a participação da Prof.ª Dr.ª Geovana da Paz Monteiro, coordenadora do projeto.

Estudioso do pensamento de Martin Heidegger, filósofo alemão do campo fenomenológico, o Prof. Daniel é experiente nos caminhos da Filosofia e possui domínio do assunto abordado. Deste modo, conseguiu transmitir para o público presente, composto por alunos e professores, tanto do CETEP como de outras instituições, as similaridades e distinções das três áreas de atuação humana apontadas como tópicos de discussão do Café.

Confira mais uma edição dos nosso Café Filosófico-Científico, logo abaixo.